Como escolher o seu Cirurgião

Atualizado: 11 de mai. de 2021

Preciso operar, e agora? Nesse momento, uma das grandes preocupações dos pacientes é como escolher o médico que vai operá-lo.

Sempre que nos submetemos a uma cirurgia, há risco potencial de complicações fatais.

Em uma investigação realizada por uma agência dos EUA evidenciou que cerca de 63.000 pacientes sofreram lesões e 3.405 faleceram em decorrência de complicações.

"Mesmo diante das melhores circunstâncias, coisas ruins podem acontecer", frase dita pelo Neurocirurgião americano Dr. Lawrence Schlachter.

Experiência, profissionalismo, conhecimento teórico e disponibilidade são princípios fundamentais no processo de escolha, mas a confiança e o estabelecimento de uma relação médico-paciente é um passo fundamental.

Um bom médico não é apenas aquele que detém a melhor habilidade ou maior conhecimento teórico e sim aquele que domina a arte de cuidar. Às vezes não conseguimos a cura, mas o médico precisa aprender a aliviar o sofrimento.

O estabelecimento desta relação de confiança com o paciente traz tranquilidade e sem dúvida impacto no resultado final.

Um bom médico deve estar sempre disposto a falar sobre as principais complicações e gravidade do caso. Aqueles que minimizam o "problema", "cirurgia simples", podem ter dificuldades diante dos cenários a serem enfretados.


Siga estas dicas e não erre na sua escolha:


1. Escolher sem conhecer: redes sociais, número de postagens ou seguidores, pode ser um grande risco. Sempre procure por pessoas que foram operadas e pesquise sobre comentários dos pacientes.


2. Certifique o registro profissional: pesquisar se o médico é especialista, procure no CRM ( Conselho Regional de Medicina ) o seu registro e se ele está devidamente ativo.


3. Infra-estrutura: procure saber onde o seu cirurgião opera, se há recursos disponíveis caso necessite. Vemos cada vez mais situações graves acontecendo em ambientes não preparados para aquele porte ou tipo de cirurgia.


4. Atenção à consulta: o médico deve prezar pela conversa, saber escutar suas queixas, realizar um bom exame clínico e sempre disponível responder as dúvidas. A consulta é um momento valioso e deve ser aproveitada ao máximo.



Enfim, nunca escolha na correria, caso haja dúvida ou medo, procure uma segunda opinião e busque sempre aquele que lhe dê segurança.

Lembrem que toda cirurgia envolve risco, portanto diminuir o risco ao máximo deve ser nosso objetivo!!




10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo